Polícia Militar reintegra posse da reitoria da USP

Padrão

A Polícia Civil vai indiciar pelos crimes de dano ao patrimônio público, crime ambiental e desobediência civil os 70 detidos na manhã desta terça-feira no campus da USP. Os presos, encaminhados ao 91º DP, só serão liberados se pagarem fiança de R$ 1.050 cada um, valor que pode chegar a R$ 50 mil dependendo da avaliação socioeconômica.

“Foi tipificado dano no prédio, assim como desobediência e crime ambiental com as pichações. Encontramos no interior da reitoria câmeras [de vigilância] danificadas, além de portas arrombadas e pichações. A estrutura estava muito danificada”, disse o delgado titular da terceira delegacia da seccional oeste, Dejair Rodrigues. De acordo com o delegado, o aluno que não pagar a fiança ficará detido na carceragem do 91º DP.

Além do inquérito de hoje, a polícia tem uma segunda investigação instaurada no último dia 26, em que apura o crime de formação de quadrilha em função de manifestantes terem depredado seis veículos das polícias civil e militar de São Paulo.

Segundo o coordenador da central de flagrantes, José Carlos Gambarine, o inquérito que apura formação de quadrilha por conta do ato do último dia 26 se baseia, principalmente, em fotos publicadas na imprensa nas quais os estudantes apareceriam danificando veículos da polícia. “Esses suspeitos ainda não foram todos identificados”, declarou, ao ser questionado se existe relação entre esse grupo e os detidos de hoje.

A reitoria da USP foi deixada com sujeira e pichações. Na paredes, havia frases de protesto como “”Ocupe a reitoria que existe em você. Aqui é um lugar de pensamento livre entendeu?”. A PM também encontrou sete bombas caseiras e seis caixas de foguetes.

Em duas das salas havia uma identificação de onde os estudantes dormiram — eram placas de “alojamento” e “dormitório”. Colchões, colchonetes e objetos pessoais, como mochilas e bolsas foram deixados para trás, dando a impressão de que os manifestantes foram surpreendidos pela polícia. Leia mais:

Estudantes detidos criticam “repressão absurda” e comparam clima na USP à ditadura
PM diz que não vai recuar de convênio com USP
Estudantes tinham sete bombas caseiras na reitoria da USP, diz PM
Diretório dos Estudantes da USP “repudia” reintegração de posse da Polícia
Cerca de 400 estudantes fazem protesto nos arredores da reitoria da USP após reintegração de posse

*Folha de São Paulo/UOL Online

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s