Arquivo mensal: janeiro 2012

Oração póstuma a Côn. Paulo Hornneaux

Padrão

Côn. Paulo Hornneaux, que suas palavras continuem a nos cativar para o verdadeiro sentido do Natal. E que possamos um dia nos reencontrar em comunidade para comungarmos juntos da Páscoa da Ressurreição.

A Cúria Diocesana informa com pesar o falecimento de Cônego Paulo Hornneaux de Moura (fundador da Escola de Samba Padre Paulo), aos 86 anos, neste dia 23. Padre Paulo Hornneaux estava internado desde o dia 17, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

MISSA: Terça-feira, 24 – 9h – Matriz de São Vicente

Anúncios

Entrevistas durante o 10º ENPJ – 2ª Parte

Padrão

Entre os dias 8 e 15 de janeiro, mais de 700 pejoteiros se reuniram em encontro nacional (ENPJ) no Maringá (PR). Nossa diocese foi representada pelo coordenador regional Vagner Benedito. Confira os melhores momentos do 1º ENPJ.

A secretária executiva da Pastoral da Juventude do Paraguai esteve presente no 10º Encontro Nacional da PJ.

O Décimo Encontro Nacional da PJ, contou com a presença da Secretária Nacional de Juventude, Severine Macedo. Confira a entrevista realizada.

O décimo encontro nacional da PJ, contou com a presença da ex-secretária nacional da Pastoral da Juventude, Hildete Emanuele. Confira a entrevista.

Entrevistas durante o 10º ENPJ – 1ª Parte

Padrão

Entre os dias 8 e 15 de janeiro, mais de 700 pejoteiros se reuniram em encontro nacional (ENPJ) no Maringá (PR). Nossa diocese foi representada pelo coordenador regional Vagner Benedito. Confira os melhores momentos do 1º ENPJ.

Pe. Geraldo Martins, assessor politico da CNBB, esteve presente no 10º Encontro Nacional da PJ. Confira sua entrevista

Presente no 10º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude, Pe. Hilário Dick, Coordenador do Observatório Juvenil do Vale dos Sinos/ Unisinos – RS concede entrevista à galera da Pastoral da Juventude. Confira.

Mensagem de Dom Pedro Casaldáliga aos participantes do 10ºENPJ

PJ no Fórum Social Temático em Porto Alegre (RS)

Padrão

A Pastoral da Juventude na contínua luta pelos direitos e pela vida plena da juventude, realizará no dia 25 de Janeiro uma ciranda no Fórum Social Temático, em Porto Alegre. Neste espaço refletiremos a atual conjuntura das PPJs no nosso país à luz da Segunda Conferência Nacional de Juventude, realizada em Brasília de 9 a 12 de Dezembro de 2011.

Além de debater também sobre as políticas públicas para a juventude das comunidades tradicionais do Brasil, com o auxílio de dois dos projetos nacionais da PJ: A Juventude quer Viver, que vai ao encontro da bandeira de luta da Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens e com a atuação de nossos jovens nos Conselho Municipais, Estaduais e Nacionais de Juventude; AJURI, um projeto que trás para nossos jovens um olhar sobre a realidade sociocultural das comunidades tradicionais brasileiras, e portanto, esta sempre preocupada com a defesa dos direitos destes.

 

“Vamos gritar, girar o mundo, chega de violência e
extermínio de jovens” Mártir Padre Gisley

Eles pedem o voto em nome de Deus (e da Igreja)

Padrão

Os partidos que disputam a Prefeitura de São Paulo fazem planos para fechar acordos com o maior número possível de igrejas, embora ninguém saiba ao certo o peso do “voto religioso”. Líderes de PT, PSDB e PMDB afirmam que a aproximação busca tanto o apoio eleitoral quanto uma “política da boa vizinhança” que apare arestas do candidato.

Antes de outubro passado, limite para a filiação de candidatos, as legendas abriram espaço para que pastores disputem o cargo de vereador. Certas parcerias são firmadas “naturalmente”. Fernando Haddad contará com o tradicional apoio da esquerda católica ao PT;  já Gabriel Chalita (PMDB) é ligado à Renovação Carismática Católica.

Grande parte das conversas, porém, ficou para este ano. Com o cenário político indefinido, as igrejas mantêm distanciamento protocolar. “O pastor mantém a neutralidade o máximo que pode. Por que vai pedir voto antes da hora e correr o risco de alguém da congregação simpatizar com o adversário?”, diz o evangélico Carlos Apolinário, vereador pelo DEM.

Igrejas são cobiçadas porque o púlpito pode converter-se em palanque, com uma vantagem sobre comícios: os templos têm público cativo. As igrejas pentecostais representam apenas cerca de 11% da população da cidade, mas são muito procuradas.

Um atrativo dessas igrejas em São Paulo é a penetração na periferia, à qual muitos partidos não têm acesso. Para entrar lá, é mais fácil contar com um pastor, que já tem ascendência sobre os fiéis, do que mobilizar a militância. “Os pentecostais estão em regiões com nível de escolaridade menor, então é mais fácil construir um discurso”, diz Cesar Romero Jacob, cientista político da PUC-Rio. Isso não quer dizer, porém, que pastores consigam impor um “voto de cabresto religioso”.

PODER DE VETO – Para o sociólogo Antônio Flávio Pierucci, da USP, a maior influência das igrejas é o poder de veto. “Não existe voto religioso no sentido de um grupo votar em quem o pastor manda”, diz ele, “mas a religião pode levar o cidadão a não escolher determinado candidato que apoia bandeiras contrárias a sua fé”. Para ele, os temas municipais não são os que mobilizam os religiosos, como aborto e casamento gay.

Em 2010, a campanha presidencial foi marcada pelo debate sobre a legalização do aborto. José Serra (PSDB) ganhou apoio da ala conservadora do catolicismo e de igrejas evangélicas na disputa com Dilma Rousseff (PT). Siglas menores também apostam nas igrejas na eleição paulistana. É o caso do PSC, próximo da Assembleia de Deus, e do PRB, ligado à Igreja Universal, que lançou Celso Russomanno como pré-candidato a prefeito.

*Uirá Machado – Folha de São Paulo (16/01/12)

Memórias do 10º ENPJ – Carta da CRJ Estadual

Padrão

Aos jovens e assessores da Pastoral da Juventude Nacional, reunidos pelo Espírito no 10° ENPJ
Com esperança e entusiasmo nós do Conselho Nacional do Laicato do Brasil do Regional Sul I queremos abraçar a cada um e cada uma, sonhadores e protagonistas da Civilização do Amor!

REAFIRMAMOS nossa convicção de que as Pastorais da Juventude do Brasil são espaços privilegiados de formação integral da juventude, num processo de educação na fé eficaz e coerente, como propõe o Concílio Ecumênico Vaticano II;

ACREDITAMOS que o Conselho de Leigos deve ser um espaço de comunhão e serviço aos grupos de jovens, apoiando efetivamente sua caminhada e ajudando na reflexão da vocação e missão do leigo, como agente de renovação da Igreja e força transformadora na sociedade;

REZAMOS em comunhão com todo o Povo de Deus, para que o 10° ENPJ possa revigorar as forças de cada “pejoteiro e pejoteira”, presente em cada canto do Brasil e congregados nos milhares de grupos de base da PJ;

Por fim, neste mês de janeiro, celebrando a memória dos 20 anos de encerramento do Congresso Latino Americano de Jovens de Cochabamba/Bolívia, queremos refazer o convite proposto por seu lema: JOVENS, COM CRISTO, CONSTRUAMOS UMA NOVA AMÉRICA LATINA, na fidelidade aos jovens e pobres, os amados por Deus com predileção!

Contem sempre conosco! Na comunhão e no serviço,
Comissão Regional de Juventude do Conselho de Leigos do Regional Sul I da CNBB