Arquivo mensal: dezembro 2012

Assembleia define nova coordenação da Pastoral da Juventude

Padrão

01

A Pastoral da Juventude (PJ) diocesana definiu sua nova coordenação no último dia 9, em assembleia na Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro (Guarujá). Além do jovem reeleito Lincoln Spada, de Santos, fazem parte desta gestão Rafhael Apolinário, de Guarujá, e Wellington Dourado, de Praia Grande.

Portanto, Lincoln avalia de que a marca da PJ Diocesana nesse próximo biênio será marcada pelo maior envolvimento com os grupos de jovens durante e depois da CF-13 Fraternidade e Juventude e a JMJ-2013: “Conseguimos mesclar na PJ Diocesana lideranças dos municípios onde mais tem grupos de PJ. E isso possibilita estarmos mais presentes na vida destes grupos e incentivá-los sempre a serem sinal de Cristo ao se engajarem nas suas comunidades”.

A assembleia também indicou o secretário diocesano (Vagner Benedito) e os coordenadores regionais de Guarujá (Ronnaldh Oliveira e Uesley Brito), de Praia Grande (Ana Paula Matos e Jean Carlos) e de São Vicente (Gines Salas). Entre os momentos de destaque do evento, houve a despedida da atual coordenadora dioceana Samira Aun, a palestra sobre JMJ-2013 de João Paulo Figueiredo, do Movimento Neocatecumenal, e uma homenagem aos 30 anos de sacerdócio do Padre Luiz Aparecido Tegami,sdb.

A dinâmica entre os jovens presentes no evento foi a eleição e entrega dos prêmios na 1ª Pastoral da Juventude Academy Awards: Ronnaldh (Guarujá) como o pejoteiro mais falante; Walyson e Yuri (São Vicente) como mais engraçado; Rodrigo (Santos) como mais tímido; Amanda e Renan (Praia Grande) como mais belos; Beatriz (Guarujá) como mais acolhedora; Samira (Santos) como mais madura; Wellington (Praia Grande) como mais concentrado; Leonardo (Praia Grande) como mais distraído; Jean Carlos (Praia Grande) como mais rebelde e Ricardo França (São Vicente) como mais parecido com Anderson Silva.

Retrô – Pejoteiros recebem Mãe Peregrina

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Em preparação aos 40 anos da Pastoral da Juventude (PJ) no Estado de São Paulo (Sul 1) está sendo realizada a Peregrinação da Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida pelas 46 dioceses do Regional. E esteve em nossa Diocese de 7 a 15 de setembro, passando por Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão, Praia Grande, Itanhaém e Peruíbe.

A peregrinação da Imagem teve início em junho do ano passado com o III Encontro Regional da PJ Sul I e da 18ª Romaria da Juventude, com o tema “Testemunho e Esperança”. Esta peregrinação, com a Mãe Aparecida, vem animando os jovens a prepararem a 19ª Romaria da Juventude, que marcará os 40 anos da PJ, que acontecerá em 8 de setembro no Imagem de N. S. Aparecida peregrinapela Diocese para celebrar 40 anos da PJ Santuário Nacional Nossa Senhora Aparecida.

Diante da Imagem, os jovens poderão registrar seus sonhos, realidades, medos, esperança e vida por meio da construção do manto da “Mãe Cidinha”. O simbolismo está em envolver e unir toda a juventude do Regional a partir de suas realidades compondo uma única e plural identidade da Pastoral da Juventude do Sul I.

Retrô – PJ Santos participa de encontro da SP2

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Entre os dias 25 e 27 de agosto, cerca de 30 jovens de sete das oito dioceses da subregião SP2 participaram de um encontro na Capela Santo Ângelo, em Jundiapeba, Mogi das Cruzes. Com o tema “Nosso jeito de crer, ser e viver, a juventude faz a vida acontecer”, a proposta do encontro foi reunir os jovens para promover a rearticulação entre as dioceses da subregião, que são de bairros da capital São Paulo (Campo Limpo, Santo Amaro, São Miguel Paulista) e de municípios vizinhos (Guarulhos, Mogi das Cruzes, Osasco, Santos e Santo André).

Na sexta-feira, dia 25, foi realizada a acolhida dos participantes. No sábado de manhã, os jovens participaram de uma mística com documentos de identidade, fazendo-os refletir sobre a questão da identificação com a proposta da Pastoral da Juventude. Eles também realizaram uma dinâmica para conhecerem uns aos outros. Em seguida, o padre Paulo Leandro, de Guarulhos, apresentou a organização da PJ no Brasil, desde os grupos de base até a divisão em regionais. Dando continuidade, Anika Borgi, da coordenação da sub Campinas, relatou as propostas que surgiram na Assembleia do Regional de 2011, evento no qual iniciou-se o projeto de rearticular a SP2.

Os jovens esclareceram suas dúvidas em relação à estrutura organizacional da pastoral e também comentaram como o subsídio “Somos igreja jovem” vem sendo trabalhado em cada diocese. O assessor Rogério de Oliveira contribuiu com uma mensagem sobre a importância de reafirmar a identidade da PJ na igreja e fortalecer os grupos pequenos. Depois, todos foram divididos em grupos e passaram em tendas para discutir as “trevas”, “luzes” e “cores” que vivenciam nas realidades de cada diocese. Em uma plenária, os grupos partilharam as reflexões e afirmaram que é necessário mais integração na subregião e também é importante compartilhar ideias e materiais para atividades.

A atuação da PJ na Campanha da Fraternidade 2013 e na Jornada Mundial da Juventude também foram temas de discussão, nos quais reforçaram a importância de realizar atividades missionárias. À noite, todos participaram de uma missa especial na capela celebrada pelo padre Carmine Mosca, da diocese de Mogi, ex-assessor da Pastoral da Juventude. Depois, os jovens realizaram uma noite cultural com gosto de infância e se divertiram com gincanas e brincadeiras de criança.

No domingo de manhã, uma mística emocionou a todos, ao juntar oito frutas diferentes em uma saborosa salada de frutas, simbolizando as dioceses do SP2 reunidas. Eles também participaram de dinâmicas e, em grupos, responderam a questões sobre propostas de trabalho pós-encontro. Como encerramento, os jovens caminharam em romaria com a imagem peregrina de N.Sra. Aparecida, que está passando por todas as dioceses do estado de São Paulo. Após ficar duas semanas em Mogi, ela foi entregue para os representantes de Guarulhos.

Retrô – Acontece a Missão Jovem em São Vicente

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

A Pastoral da Juventude (PJ) realizou entre os dias 13 e 22 de julho a Missão Jovem. Cerca de 40 jovens do grupo de base da comunidade (GESAC), de outras paróquias e ainda de outras cidades participaram da evangelização que aconteceu nos arredores da Paróquia Beato José de Anchieta, no Humaitá em São Vicente. Seminaristas e Padre Luiz Parecido Tegami, da Paróquia N. Senhora de Fátima e Santo Amaro (Guarujá) assessoraram os jovens.

A Missão teve início no dia 13 com um retiro de preparação que tratou sobre a postura missionária e a amizade, tema da Missão. No domingo a noite, dia 15, o Padre Aluísio Antônio da Silva, pároco da Beato Anchieta, celebrou uma missa de envio.Diversas atividades marcaram a semana de evangelização. Foram feitas visitas às famílias, gincana com as crianças carentes do bairro, Via Sacra na Vila Nova Mariana (setor mais carente) e a visita à tribo indígena “Tékua Mirim”, em Praia Grande, que tem sofrido com falta de assistência e fome.

A missa de encerramento também foi celebrada pelo Padre Aluísio, onde os jovens perceberam quão sério e profundo são os tema e lema da Missão “Vinde e semeai a amizade” (tema) e “Sejam amigos em profundidade” (lema).Diego Florentino, 24 anos, de Cubatão dá sua experiência: Essa missão teve diferencial que a tornou muito especial para mim. Em primeiro lugar, o envolvimento d grupo GESAC que é muito unido e trabalhador. Outro fator foi o apoio integral da comunidade que acolheu os missionários de outras cidades com muito carinho. Por fi m, a confiança na juventude do Pe. Aluísio, que estava com os missionários quando podia e tornou a missa de envio inesquecível”.

Retrô – Romaria da PJ em Presidente Prudente

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Sem dúvidas e com muito amor, que a 18ª Romaria Estadual da Juventude, em Presidente Prudente, será uma romaria para ficar na história. Não teve preço para os tantos romeiros presentes ouvirem do arcebispo da Sub Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo dizer “apesar da idade avançada continuo sendo pejoteiro”.

E foi assim: às 5h os jovens das primeiras caravanas já ocupavam espaço e tomavam o café da manhã. Acolhida então, não faltou nenhuma com a banda da PJ Sul-1 e jovens da Diocese de Presidente Prudente. Sem perceber, o pátio do Seminário já estava tomado e a vizinhança acordava com a linda mística preparada “em claro” à noite toda.

Dom Benedito Gonçalves dos Santos, bispo de Prudente, foi quem celebrou a missa da juventude, concelebrando o arcebispo de Botucatu e padres da diocese de Prudente. Com a liturgia do dia Dom Benedito pediu aos romeiros que sejam missionários e levem a verdade a todos que desconhecem a Jesus Cristo, que esta verdade é a solução das amarguras da sociedade.

Dom Maurício, além de encantar em dizer ser pejoteiro, pois quem tem o sentido Cristão nunca perde a juventude, disse: “Romaria quer dizer que estamos caminhando, que não queremos ficar parados de braços cruzado. Queremos ser sujeitos. Esta é a lógica do pejoteiro, a do Bom Samaritano e de Jesus Cristo, que tem empatia e não pratica o individualismo. A lógica do pejoteiro é a do Reino, do amor.”

Antes de sairmos em caminhada, cantando, pulando, gritando as dores da juventude e tomando conta das ruas de Prudente junto com Maria, transformando essas dores na doçura do mel, padre Edgar de Souza Lima, assessor da PJ na Sub de Botucatu agradeceu a Dom Benedito e Dom Maurício pela prontidão em acolher o ERPJ e Romaria.

“Toda essa festa não tem meu dedo, foi a juventude quem fez. Eles são capazes, organizam, fazem e acontece. Que possamos acreditar nos jovens, são protagonistas da evangelização do mundo novo. Lugar de jovem é no grupo de jovem, na Pastoral da Juventude”, disse Edgar enchendo o coração dos pejoteiros de orgulho.

O final foi uma grande concentração no Parque do Povo, um gramado tomado por várias cirandas pela vida da juventude. E claro, lá estava ela, sempre no nosso meio, abençoando cada um e cada uma, agora mais ainda. Maria, a nossa Cidinha, irá sair em peregrinação por todas as sub-regiões até a próxima Romaria, em sua casa, em Aparecida dia 08/09/13.

Foi sempre com Maria, que começamos, terminamos e voltamos para nossas casas. E com ela, vamos celebrar os 40 anos de PJ no Estado de São Paulo. Será um ano de muita festa, pois uma história de tantos anos não pode, não deve e nunca será esquecida. E a PJ é isso, história viva na memória.

Retrô – CDL-Musical encerra formações da PJ Diocesana

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Com o objetivo de capacitar os novos coordenadores e lideranças da Pastoral da Juventude, a Codijuv realizou três encontros formativos de único dia entre os meses de abril e junho de 2012, encerrando com o CDL-Musical. “Quero partilhar em primeira mão com vocês o vídeo com alguns momentos que vivemos juntos, para que possamos guardar, não apenas na memória, mas também partilhar e levar, esse modelo de arte libertadora, por onde estivermos!”, diz Vitor Hugo Ramos, do CDL-M. Cada atividade teve cerca de trinta pejoteiros.

15/abr – Curso para lideranças (1º Encontro). Conduzido pelos GTs Formação e Mística, o curso será para cada três representantes de grupos de jovens da Diocese, sendo que este encontro terá como tema a Identidade Pastoral, abordando o ser pastoral, a formação integral humana e a articulação da PJ, relembrando o Curso para Animadores Jovens e Adolescentes (Caja), reformulado desde a década de 90 na Baixada Santista.

06/mai – Curso para lideranças (2º Encontro). Conduzido pelo GT Formação, o curso será para cada três representantes de grupos de jovens da Diocese, sendo que este encontro terá como tema a Leitura Orante e Bíblia, desenvolvendo os conceitos e a construção da Bíblia, como também estratégias de leitura, principalmente a partir do livro Atos dos Apóstolos.

22/jun a 24/jun – PJ Diocese – CDL Musical. Direcionados aos jovens de toda a Diocese, o Curso de Dinâmica para Lideres (Formato Musical) visa resgatar a identidade musical da Pastoral da Juventude, possibilitando a troca de experiências artísticas entre grupos, paróquias, comunidades e dioceses, e assim valorizar o papel da música e da cultura nos grupos de jovens e nos trabalhos pastorais.

Retrô – Centenas de jovens celebram Dom Bosco

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Mais de 200 membros da Pastoral da Juventude celebraram em missa diocesana a memória de seu padroeiro, São João Bosco, no dia 29 de janeiro de 2012. Realizada na Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro, a celebração foi presidida pelo Padre Luiz Aparecido Tegami,sdb: “Fico contente por ainda existir uma juventude que luta por um mundo mais justo, com menos injustiças, violência, desonestidade”.

A coordenadora diocesana Samira Aun também se entusiasma: “Toda missa é um rememorar da presença de Deus por meio de Jesus no meio de nós”. A data marca o reinício das atividades diocesanas da PJ, como encontros formativos, oficinas artísticas, romarias e grandes celebrações.

“Aproveitando que a Igreja está tendo um olhar mais atento à juventude atual a partir da Jornada Mundial no Rio e da Campanha da Fraternidade, um tema que focaremos nos grupos são as formas de violência que o jovem causa e sofre nos dias de hoje”, ressalta o coordenador diocesano Lincoln Spada. Após a missa, a paróquia salesiana ofereceu churrascada e sorvetada para os jovens presentes. Estiveram reunidos grupos de Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Santos, São Vicente e Praia Grande.

Rede de assessores – A missa também marcou o reencontro da assessoria leiga diocesana. “É fundamental que estejamos bem acompanhados em nosso amadurecimento na fé”, diz Lincoln. Para isso, a assessoria pretende, ao longo do ano, encontrar-se com casais, seminaristas e catequistas de crismas que apadrinham grupos de PJ em suas comunidades: criando a Rede Diocesana de Assessores.

Retrô – PJ de Santos marca presença em encontro nacional

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Por Vagner Benedito – A verdade é que ainda estou vislumbrado que o que presenciei e com o que vivi naquela semana entre 8 e 15 de janeiro de 2012, na qual tenho a certeza que foi inesquecível não só para mim, mas também para centenas de companheiros de caminhada que naquele momento se fizeram presentes.De início, o que falar daquela histórica celebração de abertura? Foi ali, na Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Glória, naquele momento o coração de 628 pejoteiros estavam todos pulsando em sintonia ao mesmo tempo em que se ecoava um clamor, era a juventude clamando pelo seu direito em ter voz, vez e lugar.

Delegações vindas de todos os lugares do Brasil começando a chegar ainda no domingo pela manhã, outras chegando ainda ao meio-dia e até mesmo a tarde, enfim, não havia tempo para ensaio ou algo do tipo, eu particularmente ainda nem havia decorado o hino do X ENPJ, pouco importa, aliás, dentro da Pastoral da Juventude não há tempo para ensaio, tudo é preparado com todo amor contendo em nossos corações e na hora certa as coisas acontecem de tais maneiras que até mesmo para quem vive PJ sente-se maravilhado. Como disse Dom Anuar Battisti: “Sejam bem-vindos a Maringá todos os pejoteiros do Brasil”, sim, e ainda pela manhã de domingo que recepção/acolhida calorosa nós tivemos, ao mesmo tempo, todo o sono e cansaço da viagem noturna tinha se evaporado.

Já durante a noite, voltando à celebração, não tenho palavras para descrever, foi no dia em que toda a Igreja celebrava a Epifania e até me atrevo a fazer um comentário: “Maringá nunca viu uma missa daquela”. Jovens pejoteiros de todos os estados ali reunidos no mesmo lugar, toda a juventude cantando e celebrando desde a entrada até os ritos finais, lembro-me que teve um pequeno instante em que a equipe de animação parou de tocar, foi quando somente se podiam ouvir as nossas vozes em uma só voz. No fim, o grito de “PJ aqui, PJ lá, PJ em qualquer lugar” iniciou-se ainda dentro da Catedral e se estendeu até a praça contagiando até mesmo quem estava ali para simplesmente tomar um sorvete.

Realmente, o X ENPJ não foi apenas um encontro. Assim que nem tantos outros, foi a minha primeira experiência em participar de um Encontro Nacional da Pastoral da Juventude e mais do que perceber eu pude sentir que participar de um ENPJ é uma satisfação imensa para qualquer pejoteiro. Falo na linguagem de um jovem que ainda sou, é muito louco sair de sua comunidade para ir até outro estado com uma cultura completamente diferente e lá conhecermos uma infinidade de rostos, os mais variados sotaques, todos vestindo uma camiseta contendo o mesmo símbolo e o mais importante, todos falando a mesma língua e com um propósito de vida em comum. Mais louco do que tudo isso é encontrar uma pessoa que agente nunca viu na vida e a sensação é de que simplesmente estamos reencontrando um amigo de infância que não se via há anos. Aliás… Loucura? Mística, eu diria.

Durante a cada dia, iniciados pela oração do ODJ (Ofício Divino da Juventude), os temas abordados nas plenárias, que de tão refletivos, chegaram-nos a serem provocadores, passando para todos os presentes a simples mensagem da proposta do trabalho pastoral que nos é confiado. Aos inesquecíveis momentos de descontração repletos de risadas, conversas pra lá de produtivas, momentos culturais, rodinhas de violão, enfim… A festa da partilha, na qual celebramos as nossas diferenças sem deixar de lado nossas singularidades. As sábias palavras do grande Hilário Dick que nesse ENPJ nos deixou um desafio, pois teremos que aprender a falar FPD com mística. Vamos juntos? A celebração dos Mártires da Caminhada, outro de tantos outros momentos únicos. A festa da vida pejoteira, onde revivemos nossas lutas, nossas conquistas e homenageamos aqueles pelo qual esse trabalho é realizado, nossos grupos de base. As reuniões das comunidades, nas quais tivemos a oportunidade de debater sobre a realidade juvenil de diversas regiões brasileiras.

Como não poderia deixar de ser, também fomos ao encontro de conhecer a realidade local através das missões. Os projetos nos quais fomos integrados, dando-nos uma real dimensão do protagonismo e da transformação que vem a ser fazendo a PJ acontecer. Passeando fizemos do ônibus uma roda musical que continha os mais variados ritmos, aliás, como estará sendo a vida dos pejoteiros de Maringá tendo que pegar ônibus na ausência das nossas batucadas? E o que dizer então do filme “Como Estrelas Na Terra: Toda Criança É Especial”? E como tudo na vida acaba infelizmente havia chegado à hora de arrumar as malas, mas antes, ainda faltava algo, depois de tudo vivido durante a semana, faltava ainda um gesto concreto, e lá fomos nós pelas ruas de Maringá marchar “Contra a violência e o extermínio de jovens”.

Por fim não posso deixar de citar a cidade que de braços abertos nos acolheu. Foi histórico, inesquecível, foi mágico… Assim foi o X ENPJ. A Cidade Verde que também atende pelo nome de Cidade Canção, além de ser uma bela e maravilhosa cidade com vasta qualidade de vida, possui um povo bastante acolhedor e hospitaleiro. É, o X ENPJ chegou ao fim e Maringá deixou saudades acompanhadas das lembranças e dos inesquecíveis momentos ali vividos.
Dói muito saber que o próximo ENPJ só será daqui a três anos, e até lá companheiros, mãos à obra, ou melhor, sempre é assim, todos nós sabemos que muitas coisas precisam ser sempre feitas. Um trabalho desses não pode ser em vão, o trabalho da Pastoral da Juventude não é um trabalho em vão. Aos grandes amigos de várias partes do Brasil nos quais tive a imensa satisfação em conhecer-los durante o X ENPJ, deixo aqui um efusivo abraço pejoteiro e a certeza de que nos reencontraremos em breve.

Quanto à aqueles que estão comigo na base e convivem comigo nesse trabalho de fazer Pastoral da Juventude, serei eternamente grato pela oportunidade que me foi dada e me sinto muitíssimo honrado em ter representado todos vocês, ao mesmo tempo, trago aqui um recado que vem lá das terras roxas da Cidade Canção: “Nós não estamos sozinhos, e jamais estaremos, pois na ciranda da vida, a nossa missão é amar sem medida”. Um viva a esse nobre sentimento e a essa contagiante alegria que é ser pejoteiro. Ser Pastoral da Juventude não é política e nem tão pouco revolução. Ser Pastoral da Juventude é vida, é acreditar no ser humano, em especial a juventude.

Retrô – A partir de censo, PJ cria GTs em 2011

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

Mais de 20 pejoteiros da Diocese de Santos se reuniram em Assembleia (ADPJ) entre os dias 9 e 11 de dezembro de 2011 em Itanhaém – pela primeira vez nos últimos 10 anos há uma assembléia fora de Santos, sede diocesana. Estiveram presentes jovens de diversas comunidades de cinco municípios. No encontro, os jovens celebraram a caminhada da PJ e reafirmaram seu compromisso com a ação pastoral na celebração da Palavra e nos momentos de mística com o Ofício Divino da Juventude. “Que todos nós estejamos presentes nesta caminhada para a construção da civilização do amor”, dizia a coordenadora diocesana da PJ, Samira Alves Aun.

A partir do Censo Diocesano da PJ, os jovens presentes se reuniram para propor ações que correspondam ao perfil do agente nos grupos das comunidades. Logo, os jovens planejaram ações a partir de quatro temas que eles escolheram como prioridades: Comunicação, Formação, Mística e Missão. “Os jovens além de proporem as ações também assumiram o compromisso de realizá-las. Criaram os primeiros GTs (Grupo de Trabalho) da PJ na Diocese”, avalia o coordenador diocesano da PJ, Lincoln Spada.

Grupo de Trabalho – Composta por coordenadores diocesanos e também em nível regional, a PJ Diocesana agora cria outra articulação já implantada em nível de PJ Sul 1: o Grupo de Trabalho (GT). De caráter provisório ou permanente, o GT pode ser formado por jovens de qualquer comunidade e serve para planejar, auxiliar e até elaborar atividades específicas sobre o seu tema em nível regional ou diocesano pela evangelização da juventude.

Perfil – O pejoteiro costuma ser menor de 18 anos e vem a participar do grupo de jovens logo após a Crisma. Ele opta por buscar informações pela Internet e lê menos de seis livros por ano. Apesar de celebrar semanalmente as missas, não presta atenção em homilias. Foi possível constar também que o pejoteiro na Diocese tem pouco interesse em política partidária, não é engajado em nenhuma ONG, mas até aceitaria em ser doador de sangue e fazer trabalhos voluntários de educação popular. Para o pejoteiro, o principal problema em sua cidade é a violência. Aliás, ele considera as drogas e a falta de oportunidade e estudo como os principais fatores da violência urbana.

Retrô – 400 jovens festejam o DNJ de 2011

Padrão

A PJ Diocesana realizará a Assembleia (mais informações) no dia 9 de dezembro e, entrando neste clima de avaliação, planejamento e reafirmação dos nossos compromissos e ideais, o blog publicará diariamente nesta primeira quinzena de dezembro: fatos que marcaram os últimos dois anos da pastoral.

A Diocese de Santos comemorou com mais de 400 pejoteiros o Dia Nacional da Juventude (DNJ) em 30 de outubro de 2011. A data promovida pela pastoral reuniu grupos de cinco municípios. O DNJ ocorreu em Praia Grande e teve início com missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Jacyr Francisco Braido,CS e co-celebrada pelos padres José Tadeu Aguiar Lima,CSS e Luiz Aparecido Tegami,SDB. Durante a missa foram distribuídos laços roxos representando o tema da data: ‘Juventude e Protagonismo Feminino’. Também ocorreu uma cena teatral em exaltação a Nossa Senhora.

Após a missa, os jovens fizeram a marcha ‘A Juventude Quer Viver’, com base na ‘Campanha Contra a Violência e o Extermínio Jovem’. A caminhada encerrou no Colégio Passionista, onde deixaram mais de centenas de alimentos não-perecíveis. No local, além de campeonatos de vôlei e de futsal, os jovens também se dividiram em oficinas de teatro, capoeira e expressão vocal/corporal.

Durante o DNJ, houve espaço também para um café filosófico com mulheres à frente de causas sociais: Irmã Isabel (Congregação Passionista), Catarina Lacerda, acompanhada do esposo Milton Lacerda (Pastoral da Mulher Marginalizada), Adriana Merchiori (Associação Uno e Verso) e Naiá Rocha (Instituto Mulher Viva). O dia de atividades encerrou com apresentações de dança e teatro de grupos de jovens, intervenções de circo e um show de maracatu no fim da tarde.

Desde a rearticulação pastoral na Diocese em novembro de 2010, o DNJ se tornou na prioridade em celebrar e cativar com os jovens das comunidades. O Dia Nacional da Juventude era elaborado em nível paroquial ou interparoquial desde então sua última edição diocesana em 2007.

Amanda Miranda – CODIJUV: Olhos lacrimejando e arrepio na nuca, me perco nas palavras. É muito sentimento pra traduzir.

Carolina Carneiro – Assessoria: O DNJ conseguiu reunir muitos jovens que compareceram de coração aberto e adoraram o dia que vivenciaram. Que dançaram com o maracatu e gingaram com a capoeira, que emprestaram sua voz na caminhada e o seu suor nas oficinas.

Felipe Moscatello – Assessoria: Há muitos anos não via um evento de grande porte como esse, recordei-me dos grandes momentos do auge de nossa pastoral.

Lincoln Spada – CODIJUV: Desde que aprendi a sentar no chão, em círculo, com outros jovens, não me recordo de ver minha diocese em multidões da Pastoral da Juventude para florir como nesse DNJ

Samira Aun – CODIJUV: Hoje celebramos e comemoramos todos juntos as conquistas, mesmo que pequenas, das lutas que enfrentamos diariamente em nosso País e no mundo pela defesa da vida da Juventude.