40 Anos de PJ: Entrevista com Janaína Oliveira

Padrão

Este ano, a Pastoral da Juventude Estadual (Sul 1) estará celebrando seu 40º aniversário em uma Romaria à Aparecida do Norte no próximo dia 8 de setembro, com atividades das 7 às 12 horas. Nessas quatro décadas, são tantas vivências e milhares de pessoas que se tornaram lideranças comunitárias por intermédio da PJ, que a Coordenação Diocesana da PJ (Codijuv) propôs entrevistar alguns eternos jovens.

O rosto de Deus é jovem também. E o sonho mais lindo é Ele quem tem.

01JANAÍNA OLIVEIRA
Data de nascimento: 30/mar/74 (39 anos)
Comunidade de origem: Comunidade Nossa Senhora Aparecida (Samambaia/Praia Grande)
Trajetória: Coordenadora de grupo de jovens (início dos anos 2000), assessora diocesana (meados dos anos 2000).

CONVITE. Entrei no grupo de jovens já nem tão jovem assim, com 26 anos. Depois de um tempo participando, o grupo começou a entrar em crise devido a forma que ele era feito. Era voltado mais para a RCC, pois na Praia Grande na época isso era o “Top” da igreja. Até que um dia a coordenadora saiu e ficou em aberto a coordenação. Dentro de mim eu sentia o chamado, mas tinha medo. Um outro amigo meu assumiu, e eu por trás ajudava. Só que ele também desistiu e aí sobrou para mim, mas aceitei como se fosse uma missão mesmo, porque sabia que iria bater de frente com varias pessoas. Começamos a nos reunir, mudei a proposta de atividades do grupo, algumas pessoas desistiram porque não concordavam com as idéias propostas e o grupo diminuiu, mas isso não me assustava, não. Não tínhamos nenhuma identidade no grupo, então fazíamos aquilo que achávamos certo. Um dia fui convidada por uma Irmã para participar de um retiro em Santos sobre a Pastoral Vocacional, e num certo momento, apareceram diversas pessoas de varias pastorais para dar exemplo de vocação, de como eles serviam na igreja. E foi nesse momento que a PJ apareceu ao vivo e a cores para mim.

NA COMUNIDADE. Entrei em contato com duas pessoas que eram da PJ e participei da Assembleia Diocesana. Lá, em três dias, aprendi muitas coisas, peguei muito material para trabalhar no grupo e as datas de outros cursos e encontros para galera do grupo poder interagir nesse meio. E assim começou a caminhada do grupo como PJ. E sempre recebíamos apoio das Irmãs da Comunidade e do nosso querido Padre Ramiro. Fizemos várias atividades, mais uma que ficou no meu coração, foi a festa para o Dia das Crianças. Não me lembro do ano, mas lembro que o grupo deu a idéia, mas queríamos fazer uma festa para todas as crianças da catequese e pastoral da criança. Era mais de 100 crianças. Tinha que ter animação, dança, teatro e claro os doces e brinquedos, seria uma tarde de sábado. Só que sozinhos não conseguiríamos. Então reunimos a comunidade em uma reunião e os lideres das pastorais resolveram interagir com todo o grupo.

NA DIOCESE. Entre as atividades diocesanas, o grupo estava todo quase sempre presente no DNJ (Dia Nacional da Juventude), onde sempre quase todo o grupo estava presente. Depois de um tempo sai da coordenação, e o grupo quase acabou. Mas como era Catequista de Crisma, levei todo o lado PJ durante o curso de crisma, e os crismandos gostaram, e depois do Crisma resolverem continuar no grupo de jovens.

02INFLUÊNCIAS. Depois que eu saí da assessoria diocesana, queria voltar a trabalhar só na comunidade e me convidaram para o MEJ (Movimento Eucarístico Jovem), e lá, mais uma vez, o meu trabalho foi voltado ao movimento, mas com a identidade pejoteira. Hoje estou casada, não estou participando de nenhuma pastoral ou movimento, mas meu coração é pejoteiro, porque a PJ só estimulou e alimentou aquilo que já estava dentro de mim a muito tempo e não sabia como botar para fora.

CONVITE. Deus na minha concepção é pejoteiro, pois ele nos ensina a lutar pela desigualdade social, a interferir na política, a lutar pelo bem comum, não ficar só rezando e, sim, botar a mão na massa para levar a salvação a todos sem distinção. E para minha vida isso é ser PJ. Não se tem formula para chamar um jovem para a Igreja, sempre digo que o mundo aí fora oferece muitas coisas e as coisas não estão fáceis, então porque não buscar um pouco de Deus? É só 1h30 no encontro e nada mais, pense que gastamos este tempo assistindo um jogo, vendo um filme ou uma novela, mas porque não damos esse pouquinho de tempo para Deus? E creio que aquele que abre seu coração para esse pouco tempo com Deus, não vai se arrepender e vai querer mais, muito mais.

Agradeço a Deus por ter me colocado na minha vida pessoas que me levaram até a PJ. Agradeço a PJ por ser o que sou hoje, por te me direcionado e me ensinado a chegar mais perto de Deus. Hoje estou grávida dos meus primeiros filhos, digo primeiros, porque são gêmeos, e estou muito feliz. E o meu sonho é que quando eles crescerem eles também façam parte da PJ. Portando a PJ não pode parar, galera. Que venha mais 40 anos levando os jovens a se questionar e a lutar por um mundo melhor.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s