Arquivo mensal: abril 2015

A MJ2015 já começou! Vote e decida qual deve ser o nosso banner.

Padrão

Dos dias 04 à 11 de julho, a PJ Santos organizará a IV Missão Jovem. Com o tema: “Como calar se tua voz arde em meu peito” e lema: “Avançai para águas mais profundas (Lc 5,4)”, buscamos que o jovem vivencie plenamente o espírito missionário, amadurecendo assim na fé. O evento que é organizado em comunhão com a Reitoria Bom Jesus dos Navegantes, no México 70, é construído também com todos vocês que acompanham o nosso blog. Disponibilizamos três imagens, cada uma com um sentido e significado e pedimos que você vote em uma delas. A mais votada será definida como o banner de divulgação e da camiseta da MJ 2015. A enquete se encerrará no próximo dia 05/maio. Segue abaixo as três opções votáveis:

Jovem missionário avistando do outro lado a comunidade do México 70 e o desafio de trazer cor para aquelas pessoas.

Opção 1: Um jovem missionário com sua mucuta avistando a comunidade a ser evangelizada do outro lado do rio.

Cartaz 2

Opção 2: Faz menção ao lema escolhido “Avançai para águas mais profundas (Lc 5,4)”

Cartaz 3 (1)

Opção 3: Um jovem de uma comunidade carente, que poderia ser até mesmo um de nós, olhando da sua laje seus irmãos tão excluídos e marginalizados.

[polldaddy

Anúncios

SHOPPING CENTER: Entretenimento pra quem?

Padrão

rolezinho

“Não há capitalismo sem racismo” – Malcolm X.

Parece piada, mas não. O centro comercial de um dos grupos mais influentes da Baixada Santista agora deu pra definir quem pode ou não entrar no seu estabelecimento. Sim, isso em uma das cidades mais pobres de toda região. Inaugurado em 2007, o Shopping Brisamar de São Vicente foi muito comemorado por toda população. Não só pela geração de empregos, mas também por salvar os finais de semana de uma juventude fortemente marginalizada, carente tantas vezes até mesmo de saneamento básico, quanto mais de oportunidades de lazer.

Entretanto, o local que é uma das únicas alternativas de divertimento em uma cidade com trezentos mil habitantes vem orientando seus seguranças a adotarem uma medida polêmica: solicitar de um perfil bem específico de adolescentes, a apresentação do RG na entrada do local. A proposta tem clara pretensão de coibir o movimento que ficou popularizado como “rolezinho”, fenômeno que se repetiu em várias cidades do país, ganhando repercussão nacional e dividindo opiniões, consistindo em encontros marcados por adolescentes de classe média baixa. A medida que já era adotada em 2014 ganhou ainda mais força nos últimos dois meses, com rigor principalmente nos horários de pico. A chance de ser “barrado” é atenuada quando estes adolescentes vão ao local em duplas ou em pequenos grupos. Já acostumados com certo grau de constrangimento e desconfiança, a postura dos jovens tem sido de passividade na maioria das abordagens. Em nota, a administração do Brisamar manifestou que a normativa instituída é legal e tem como intuito a proteção das crianças menores de 12 (doze) anos incompletos que, nos temos do art° 2° do Estatuto da Criança e Adolescente, sequer respondem por seus próprios atos. Desse modo, entende ser dever tanto do Poder Público quanto do Brisamar Shopping a garantia da segurança física e intelectual das crianças, além do respeito a liberdade de ir e vir de todos.

Maaaaas…

Não é o que diz Ariel de Castro Alves, membro do Condeca – Conselho Estadual da Criança e do Adolescente – que considera que a solicitação de apresentação do documento passa a ser discriminatória quando se restringe a um único grupo, declarando também que a norma fere o Artigo 232 do Estatuto da Criança e Adolescente. Além dele, o advogado Fernando Paulino também se manifestou, prometendo também ingressar com um processo junto ao Ministério Público.

“Vamos analisar pelo micro. Imagine uma padaria. A mãe manda o adolescente comprar pão. Na entrada, um segurança fala: ‘só vai entrar se mostrar o RG’. Não parece absurdo? Pois é o que acontece no caso do shopping center, com a agravante de ser uma área de lazer”.

No fim do século XIX e começo do século XX, a pobreza era, segundo a política sanitarista corrente na época, uma “doença” para os centros urbanos. Foi com esse discurso que Saturnino de Brito criou os canais em Santos e transferiu as populações negras e pobres para áreas mais afastadas, como a Zona Noroeste – que alagava. Nesse mesmo período, o estado perseguiu e marginalizou a capoeira. Guardadas as devidas proporções, locais privados – que sempre discriminaram seus clientes pela pele ou vestimenta – vem agora minando a participação de negros e pardos de suas atividades. Qual foi o resultado disso ao longo dos tempos?

A manifestação popular e cultural como sempre, é restringida somente a um seleto grupo. Aos demais, cabe somente a ridicularização e a exclusão. Assim caminhamos…

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA CURSO BÍBLICO!

Padrão

Quantas vezes a carência formativa dos leigos em geral, não afeta as comunidades e as nossas atividades pastorais, especialmente a bíblica? Em quantas oportunidades a nossa pouca formação nos impediu de preparar melhor um encontro, de tocar o coração do jovem ou de rebater alguma acusação de cunho religioso?

Pensando nisso, a PJ Santos orgulhosamente declara aberta as inscrições para o Encontro de Formação Bíblica, o nosso primeiro curso formativo de 2015! Com o Lema: “Se hoje ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração” (Sl 95, 7-8), é voltado as lideranças juvenis dos grupos de base e realizado em parceria com o CEBI (Centro de Estudos Bíblicos). O curso terá a proposta de levar ao jovem uma visão global da Bíblia, partindo da mensagem de Jesus em Emaús (Lc 24, 13-35).

Será realizado nos dias 16 e 17/maio no endereço da Rua Coelho Neto, n° 58 – Jardim Solemar, Praia Grande. A taxa é de R$30,00 e as vagas são limitadas por grupo/paróquia, numa nova regra que visa democratizar a formação (leia atentamente no ato da inscrição). Todos os detalhes e a ficha estão no link (Clique aqui).

Encontro de Formaão Bíblica

Os discípulos de Emaús – Lc 24, 13-35

Padrão

Naquele mesmo dia, o primeiro da semana, dois dos discípulos iam para um povoado, chamado Emaús, a uns onze quilômetros de Jerusalém. Conversavam sobre todas as coisas que tinham acontecido. Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. […] E estes confirmaram: “Realmente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!”. Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho, e como o tinham reconhecido ao partir o pão.

LEITURA ORANTE ORAÇÃO INICIAL

Nesta semana, estamos tendo a oportunidade de nos encontrarmos com a Palavra de Deus que nos apresenta as aparições do Ressuscitado. Hoje, Jesus aparece aos discípulos de Emaús, caminha com eles, partilha o pão e eles o reconhecem. Que possamos abrir nossos olhos para reconhecermos a presença do Senhor ressuscitado em nossa vida. Rezemos: Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.

1- LEITURA (VERDADE) O que diz o texto bíblico? Leia-o atentamente e procure imaginar a narrativa. Coloque-se no caminho com os dois peregrinos. O que conversam? Por que estão a caminho de Emaús? Como Jesus se dá a conhecer? Em que momento eles reconhecem o Senhor Ressuscitado? Por que os dois discípulos reconhecem que é Jesus ao partir o pão? Com muita facilidade identificamos no texto que o terceiro peregrino que se aproxima e começa a caminhar com os discípulos que se dirigem para Emaús é Jesus. Para os dois discípulos, no entanto, esse reconhecimento não é tão rápido assim. Eles retornam de Jerusalém, estão tristes diante dos últimos acontecimentos vividos e pela morte de Jesus. Seus olhos não conseguem reconhecer o Senhor que caminha com eles. Também Maria Madalena, enquanto chorava a ausência de seu Senhor, teve dificuldades de reconhecê-lo e o confundiu com o jardineiro. É na proximidade, no diálogo e na partilha do pão que seus olhos irão se abrir para reconhecerem que “realmente, o Senhor ressuscitou!”. Também a falta de fé, vivida pelos discípulos, impede que seus olhos reconheçam o Senhor.

2- MEDITAÇÃO (CAMINHO) O que o texto me fala? Quais sentimentos o texto provocou em mim? Meus olhos estão abertos para reconhecerem o Senhor? De que forma o Senhor se faz presente em minha vida? Permito que o Senhor caminhe comigo, faça-me companhia nas realidades que vivo? A experiência dos discípulos de Emaús é também a nossa experiência. Nos momentos que desiludidos desejamos caminhar sozinhos, ele nunca nos abandona, chega de mansinho, caminha conosco, vai entrando em nossa vida nos espaços que damos a ele, até que o reconheçamos. “Não há situação humana em que o Senhor não se faça presente”. Permita alguns instantes de silêncio para que o Senhor fale ao seu coração.

3- ORAÇÃO (VIDA) Agradeça pela riqueza da Palavra de Deus e pelos ensinamentos escondidos em cada palavra. Agradeça pelos convites, apelos, desafios que o Senhor te convida a viver neste dia. Agradeça ao Senhor pela sua fidelidade e seu amor que sempre nos acompanham, mesmo quando temos dificuldades de reconhecê-lo. Conclua sua oração celebrando com Maria a alegria da ressurreição de seu Filho. – Rainha do céu, alegrai-vos, aleluia! – Porque quem merecestes trazer em vosso puríssimo seio, aleluia! – Ressuscitou como disse, aleluia! – Rogai a Deus por nós, aleluia! – Exultai e alegrai-vos, ó Virgem Maria, aleluia! – Porque o Senhor ressuscitou verdadeiramente, aleluia! Ave, Maria… – Rogai por nós, Santa Mãe de Deus. – Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Oremos: Ó Deus, que alegrastes o mundo com a ressurreição de vosso Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, concedei-nos, vo-lo suplicamos, que por sua Mãe, a Virgem Maria, alcancemos as alegrias da vida eterna. Pelo mesmo Cristo, nosso Senhor. Amém.

4- CONTEMPLAÇÃO (VIDA E MISSÃO) O que me proponho a viver concretamente neste dia? O que está sendo pedido à minha vida, aqui e agora?

BÊNÇÃO – Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. – Que Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. – Que volte para nós o seu olhar e nos dê a paz. Amém. – Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Angela Klidzio, fsp angela.klidzio@paulinas.com.br

COMENTÁRIOS

A presença do Ressuscitado no caminho de Emaús
O relato dos discípulos de Emaús é a narração de uma Páscoa. Não há situação humana em que o Senhor não se faça presente. Talvez as situações de frustração e de decepção sejam as mais difíceis, as que impedem de reconhecer que o Senhor está presente. Parece ser bem o caso no relato dos discípulos de Emaús. A tristeza e a frustração aparecem nos olhos. O olhar, diz o ditado popular, diz mais do que mil palavras. De uma profunda tristeza e frustração eles passam à alegria e ao anúncio do Ressuscitado. Mas o que permitiu essa transformação na vida daqueles dois discípulos, um dos quais anônimo? A presença do Senhor ressuscitado, que se põe a caminho com eles e os faz percorrer um caminho muito mais longo do que aquele que separa Jerusalém de Emaús, a saber, o caminho através das Escrituras. É desse fato que, depois que o Senhor partiu o pão e passou a eles, vão se recordar. O caminho através das Escrituras preparou os discípulos para abrirem os olhos do reconhecimento no gesto de partir o pão. O mesmo acontece na celebração da eucaristia: sem reconhecer o Senhor presente na sua palavra, não é possível reconhecê-lo nas espécies do pão e do vinho. Desvincular a palavra da fração do pão é correr o risco de cair no puro devocionismo.
Pe. Carlos Alberto Contieri

ORAÇÃO
Pai, não permitas que eu caia na tentação de viver distante de meus irmãos e irmãs de fé, pois o Senhor Ressuscitado nos quer todos reunidos em seu nome.

LEITURA
At 3, 1-10

SALMO
Alegre-se o coração dos que buscam o Senhor. Sl 105(104)