#MJHISTÓRICO: A primeira experiência missionária diocesana e seus dois anos de preparação.

Padrão

“O que a memória ama, fica eterno” (Adélia Prado)

Em razão da IV Missão Jovem, que será realizada de 04 à 12 de julho na Reitoria Bom Jesus dos Navegantes – México 70, São Vicente –, nosso blog iniciará uma série que contará a história das missões realizadas em nossa Diocese pela Pastoral da Juventude. As reuniões, as realizações, os concursos, enfim, tudo que cercou os momentos de construção do Reino protagonizados pelos nossos jovens. Começamos pela primeira delas: a Missão realizada em Cubatão, no ano de 2004. Venha conosco viajar pelo tempo para REVER e CELEBRAR!

Qual o impacto de uma experiência plena de vivência do Espírito Missionário na vida de um jovem ou adolescente? O quanto uma visita, um abraço, uma palavra dita pode transformar a vida da família visitada ou daquela que acolhe o jovem? Que transformações e quais resultados são percebidos nas comunidades que recebem um evento de tamanha magnitude?

Perguntas que talvez nunca tenham respostas. Esse ano, completa-se onze anos da primeira experiência evangelizadora da PJ Santos. Ocorrida nos dias de 01 à 11 de julho de 2004 e sediada na cidade de Cubatão, muita coisa rolou desde aquela época. Dos seminaristas que dela participaram, alguns se ordenaram – Pe Edson Felipe e Lucas Alves. Daquela que na época compunha a juventude da nossa Diocese, uns viraram assessores leigos e se mantiveram na caminhada – Fernando Diegues e Ricardo França – , outros tantos se casaram, constituíram família e optaram por profissões de alguma forma ligadas ao aprendizado cristão. Marcas imensuráveis de uma galera que até hoje se reúne para relembrar essa e outras histórias.

Não foi fácil. Sonhada desde 1999, quando dois pejoteiros santistas estiveram na Missão organizada pela PJ de Assis e ‘matutada’ durante dezoito meses de organização desde que foi compromisso firmado na Assembleia de 2002, o evento demandou uma extensa equipe, que articulou uma estrutura que suportasse sessenta inscritos divididos em três Paróquias diferentes – São Francisco de Assis, São Judas Tadeu e Nossa Senhora da Lapa. Os primeiros dias foram de formação, até culminar na benção e nas palavras animadoras de Dom Jacyr, na Missa de envio celebrada na Catedral dia 04/julho – data do aniversário de oitenta anos da Diocese.

Com as testas ungidas pelo bispo, dividiram-se em setores e partilharam a Boa Nova nos bairros da Vila Noel, Costa e Silva, Parque São Luiz, Vila dos Pescadores, Parque Fernando Jorge, Ilha Caraguatá, Casqueiro, Bolsão até a celebração de encerramento no dia 11. Após dois anos de preparação, com concursos para símbolo, mostras artísticas e formações, o evento tão sonhado se encerrou com as palavras: “A missão evangelizadora dos jovens não acaba aqui”. E não acabou. Onze anos depois, a PJ Santos segue viva. E sonhando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s