Arquivo mensal: janeiro 2016

GRATIDÃO, PADRE TEGAMI: Amigo da juventude.

Padrão
Celebração na Igreja Matriz do Guarujá.

Missa de Dom Bosco 2015 – Celebração na Igreja Matriz do Guarujá.

“O segredo de permanecer jovem é ter uma causa a que dedicar a vida.” – Dom Hélder Câmara.

Pe Luiz Aparecido Tegami, SDB, presente na Paróquia Nossa Sra de Fátima e Santo e Santo Amaro (Guarujá) desde 2010, se despede dos trabalhos pastorais em nossa Diocese, indo para a capital paulista a serviço da Congregação. Fiel aos ensinamentos de Dom Bosco, ganhou o carinho dos pejoteiros de toda a Diocese. Dessa forma, o nosso blog publica hoje dois relatos, que procuram, ainda que seja impossível, expressar o sentimento de toda juventude:

” Foi em 2012, mas parece ontem. Ainda era integrante da base e estava as vésperas de articular uma semana missionária em minha comunidade, quando me reuni com ele na Igreja Matriz do Guarujá, sua paróquia. Com o casaco do Palmeiras e ostentando a sua cuia de chá, falando-me da saúde e do dia-a-dia de sua comunidade, vez ou outra tocávamos no assunto que me levou até lá: os detalhes do evento. Se mostrava tão humano e próximo que parecia me conhecer a seis meses.

– Te levo em casa agora. Onde você mora?

– Não precisa. – respondi.

Missão Jovem 2012

Pe Tegami e Pe Aluísio, durante a Missa de Envio na Missão Jovem 2012.

Moro no último bairro da área continental de São Vicente, periferia da cidade e que se encontra a trinta minutos da praia (indo de carro). Culturalmente, quem mora na minha cidade não deixa quem mora no Humaitá na porta de casa, mas concede a carona até o ponto de ônibus mais próximo. E a pessoa em questão morava na ilha de Santo Amaro, a duas cidades de distância de São Vicente. Mas como era 23h da noite de uma quinta-feira, aceitei a oferta. Afinal eu sou orgulhos, mas não sou burro.

Sim. Algumas vezes as pessoas nos conquistam pelos pequenos gestos. Não se limitando a uma única carona, ele esteve conosco pelo menos uma vez ao dia ao longo da Missão visitando casas, mesmo com a sua rotina paroquial. “Você não tem que me agradecer. É a minha Missão”, disse-me ele. Assim é o Pe. Luiz Aparecido Tegami, salesiano natural de Barretos (SP), que não tem medo de sentar ao chão em meio aos jovens e que costuma negar bajulações concedidas por ser sacerdote – antes do Papa Francisco “lançar a moda”. Nos últimos cinco anos em que esteve na Diocese, presidiu e organizou ao lado da PJ Diocesana a Missa em Louvor a Dom Bosco, padroeiro da juventude e fundador da Congregação a qual pertence. Sempre falante e verdadeiro, Pe Tegami se mostra amigo e é assim que conquistou lugar cativo no coração dos pejoteiros da nossa Diocese, tendo inclusive estendido a mão nos momentos que mais precisávamos. Mas a Igreja chama o nosso amigo para uma nova Missão, fora da baixada. E sabendo que isso faz parte da vida que ele escolheu, seguimos rezando, pedindo a intercessão de Maria Auxiliadora para que abençoe o seu fiel compromisso com a juventude. Muito obrigado.”

Gines Salas Neto, 25 anos. Membro da coordenação diocesana da PJ Santos

“O Padre Tegami me fez descobrir uma nova dimensão do sentido de ser cristão. Eu não tinha idéia de como era ter um sacerdote amigo, não um companheiro ou alguém em quem se pode confiar, mas um amigo na essência de sua palavra, aquele que você chora, ri, joga vídeo game, vai ao cinema, conta segredos, enfim, algo muito louco (rs).

Pe Tegami.

Visita surpresa na casa do Rafael, no dia de seu aniversário.

O Padre Tegami muito me ensinou sobre o discipulado, citando sempre João Batista, que por incrível que pareça é padroeiro da minha comunidade, e mostrando que para se trabalhar com a Juventude, devemos ser alegres como Dom Bosco. É um pai espiritual pra mim, que sempre puxou minha orelha nos momentos corretos e que transparece a face de Cristo.

Na retomada da articulação diocesana da Pastoral da Juventude, o Padre Tegami estendeu sua mão e nos abraçou, iluminando a esperança da juventude e revitalizando a fé de todos, para que fosse possível, trilhar novamente a civilização do amor.

Existem duas palavras que fazem os olhos do Padre Tegami brilharem, Palmeiras (QUE É GRANDE) e juventude, um palmeirense de coração, que sempre nos mostrou também que os padres são seres humanos e também possuem vidas iguais às nossas, isso permitiu que víssemos o clero de uma forma mais próxima e fraterna, o que colaborou muito com as relações diocesanas.

Em 2015, em meu aniversário, o pessoal do meu Grupo de Jovens armou uma festa surpresa, até aí tudo certo, porém mal sabia eu que o dito cujo estava por dentro das armações. Todos sentados em meu quarto assistindo filme de comédia e de repente alguém chama no portão. Quando fui atender, ninguém mais que o próprio Padre Tegami veio até a minha casa. O primeiro e único sacerdote que visitou minha humilde residência, sendo essencial para meus pais também, que não frequentam as missas presencialmente, apenas acompanham pela TV. Ver os olhos de minha mãe emocionados pela presença do Padre em sua casa deu uma reviravolta no meu coração e no meu espírito e renovou ainda mais meus votos de fé em Cristo.

Eu não gostaria de estar relatando tais sentimentos em uma ocasião tão triste quanto esta de sua saída de nossa Diocese, porém fico feliz em saber que outra Diocese será agraciada por Deus em receber este anjo maravilhoso, e honrado por Deus ter permitido que eu passasse um nobre tempo ao lado deste ser incrível, que se chama Luiz Aparecido Tegami.”

Rafael Apolinário dos Santos, 24 anos. Membro da coordenação diocesana da PJ Santos.

Anúncios